22 fevereiro 2016

Crônicas de um livro: Jack, o disvirgindador de garotas




 Jack, o disvirgindador de garotas

Em muitos livros, a autora aborda sobre o caso “virgindade”. Bom, em primeiro lugar, acontece alguns absurdos de mulheres que passaram dos 25 ainda serem virgens. WTF? Não que isso seja impossível e tal, mas nos dias de hoje? Fala sério. Ninguém que passou dos 25 é virgem ou nunca teve uma experiência íntima? Pelo amor... Tudo bem. Aí a mulher é vigem (tenha ela 18 ou 28) e está na sua primeira vez; Começa o clima romântico, beijos, carícias, preliminares e aí começa o primeiro erro.
Erro 1: A garota não está nem um pouco nervosa e já é a mesma do sexo. Sabe todas as posições e tudo o que fazer para o parceiro sentir prazer. Senso que ela não teve NENHUM EXPERIÊNCIA SEXUAL ANTES! COMO ASSIM? Ou depois de uma vez, já virou uma viciada sexual ou adquiriu uma super experiência.
Erro 2: A mulher não sente nenhum dor ao ser penetrada pela primeira vez. Nunca! Não é regra sentir dor na primeira vez, mas a maioria das autoras preferem focar apenas na parte do prazer do sexo. Cara, isso é irreal. Cadê o sanguinho? E a dor?
Erro 3: Gozar 50 vezes na primeira vez. É raro mulheres gozar em sua primeira vez, porquê tudo tem a ver com costume e tal, mas.... Instantaneamente a mulher gozar na primeira vez? Apenas com a penetração? Hm... Acho que não.

Então, queridas autoras, por favor.... Lembrem da sua primeira vez e escrevam coisas mais legais. E reais.

2 comentários:

  1. HAhaha Lilian compartilho da sua opinião, tbm fico muito intrigada com isso, a minha primeira vez foi bem tenso, fisicamente foi horrível, a vibe é muito mais psicológica...e as autoras pecam muito nisso =/

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é? Fico até estranho para quem lê e sabe que não é nada daquilo. É bem absurdo.

      Excluir