13 de fev de 2016

Resenha: Onde deixarei meu coração

Título: Onde deixarei meu coração
Título Original: Nobody's Girl
Autora: Sarra Manning
Editora: Galera Record
Nº de páginas: 336
 Skoob
 3/5


Simples, careta e sem graça. É assim que Bea se vê. Então quando a super descolada Ruby e seu bando de populares passam a se interessar por sua opinião, isso só pode ser uma pegadinha. Certo? Pelo menos é assim que sempre acontece nos filmes... Mas o convite para passarem as férias em Málaga parece pra valer. E com um bônus: Bea pode se afastar da mãe irritante e controladora.



Bea é aquela adolescente considerada sem graça, chata, caseira, sua mãe é sua melhor amiga, mas ela decidiu que quer mudar e quando sua amiga a apresenta à Ruby, uma garota popular, bonita e festeira, Bea ver aí sua oportunidade. Bea decide junto com Ruby e seu grupo de viajar para a Espanha na esperança de se revelar e poder se descobrir, mas também com um desejo de conhecer seu pai que, de acordo com sua mãe vive em Paris, lugar que se tornou a grande paixão de Bea. Porém, na Espanha, Bea se vê sozinha, sendo enganada por pessoas que ela achava serem suas amigas, assim, sem pensar duas vezes e indo de encontro com tudo que sua mãe a aconselha, Bea pega um trem para ir à Paris encontrar seu pai. Ela acaba parando em outro lugar e conhece um grupo de estudantes que estão fazendo um mochilão por lugares da Europa, um deles é Toph, um garoto aventureiro que acabou de passar por um término e que faz o coração de Bea disparar. A garota se junto ao grupo em uma viagem maravilhosa, onde ela acabará descobrindo coisas do seu passado que poderão mudar quem ela é.

O livro tem uma proposta muito boa, mas uma estória não tão boa assim. Começando pela personagem principal, Bea. Ela é justamente isso que ela diz ser. Chata, egoísta, sem graça, uma personagem que não desenvolve muito ao passar das páginas, mesmo com tantas aventuras. Ela começou o livro com aquele desejo interminável de ser diferente, começando a mudar o que ela realmente era. Começou a beber, frequentar festas, esse tipo de coisa, tudo influenciado por Ruby, em quem ela começou a se espelhar, mas quando as garotas vão para a Espanha, Bea vê que está se enganando e se misturando com pessoas que ela não quer.

Ao encontrar o grupo, é como se Bea realmente se encontrasse. Depois de muito hesitar ela entra na viagem junto com ele, indo para vários lugares e conhecendo várias coisas novas. Mesmo ainda tendo um desejo enorme de encontrar o pai, o que se torna quase uma obsessão.

Bea não conhece seu pai. Sua mãe casou de novo e teve filhos, porém ela nunca falou sobre o pai de Bea, a única coisa que a garota sabe é que ele vive em Paris, por isso o lugar passa a ser especial para ela. Bea aprendeu francês, conhece tudo sobre Paris, mas por causa dessa alusão que ela criou com relação ao seu pai. Ela tem esse desejo, quase como se fosse a melhor coisa que fosse acontecer na vida dela. Como se tudo que estivesse ruim, melhorasse se ela conhecesse o pai e, no fim, acaba sendo uma grande decepção para ela. Ela cria tanta expectativa e nos faz criar tanta expectativa que, no final, quando tudo se revela você olha para o livro e fala: "Então é isso?".

Bea traz várias dessas caraterísticas, por ter sido criada por uma mãe super protetora que engravidou muito cedo e que seu maior medo é que a filha tenha o mesmo futuro. É quase estressante tanto mãe quanto filha. Ela acha que só o fato de Bea sair na rua, ela pode voltar grávida. Por isso a personagem acaba ficando mais reservada, tímida, quieta e caseira. Ela caba absolvendo os medos da mãe, mas quando conhece pessoas com ideias diferentes, sua cabeça começa a mudar.

O livro é pequeno, mas mesmo assim muitas coisas acontecem. Achei que autora não soube desenvolver as cenas direitos, achei tudo muito rápido e quase sem sentimento. O livro não teve aquele toque que nos faz ler até a última página para saber o que vai acontecer. Não me prendeu, não me cativou.

O casal principal é um pouco sem  graça (também, com personagens tão sem graça). Tem romance, tem o envolvimento, mas acaba sendo artificial. Eles não tem aquela paixão, aquele amor e isso não é pelo fato deles terem, primeiro se odiado e depois virado amigos.

Os lugares são bem mostrados, bem detalhados e é legal lermos um livro onde pessoas conhecem novos lugares, porque olhamos pelos olhos desses personagens e vamos descobrindo coisas novas junto com ele e isso é muito interessante.

Enfim, é um livro leve, mas que aborda vários assuntos da vida adolescente.


SPOILER: Na verdade, a mãe dela não sabe quem é o pai.

Nenhum comentário:

Postar um comentário