28 de fev de 2017

Das páginas para a tela: A garota no trem

Título: The girl on the train
Título Original: The girl on the train
Ano de lançamento: 2016
Baseado em: A garota do trem
Gênero: Suspense
Direção: Tate Taylor






Imagem relacionadaAcho muito difícil resenhar um filme que foi baseado em uma obra, porque, enquanto você assiste o filme, muitas vezes não sabe se a história nas telas está deixando claro as coisas ou você só compreende porque leu o livro. Principalmente uma história como essa, de suspense thriller psicológico.

Rachel é uma alcoólatra, que foi traída pelo marido e viu sua vida sendo despedaçada pela depressão. Ela perdeu o marido, o emprego, a sobriedade e a razão de viver. Todos os dias ela pega o mesmo trem e volta, como ela fazia antes, passando sempre pelos mesmo lugares e um lugar específico, a rua que ela morava antes de se divorciar.
Resultado de imagem para a garota no trem filme

Em sua antiga casa, seu ex marido mora com a ex amante e atual esposa, Anna. Na casa ao lado há um casal que Rachel sempre observa. Ela não sabe nada sobre eles, mas inventa em sua mente, a história perfeita de amor que ela nunca viveu. Infelizmente, um dia, essa fantasia de dissolve quando ela ver a mulher traindo o marido. Ela sofre novamente a dor da traição e procura na bebida, como sempre, o consolo esperado. O problema é que na manhã seguinte essa mulher está desaparecida. Seu nome é Megan. E Rachel não faz ideia do que aconteceu ou o que viu na noite anterior.

O livro A garota no trem é cheio de narração, um ponto que eu achei que seria muito difícil transpor para as telas, mas essas narrações foram transformadas em falas, o que ficou legal e meio natural.
Uma coisa que me incomodou um pouco a atuação de alguns atores. Achei a Emily Blunt e o Luke Evans fenomenais. Alguns eu achei muito forçada e bem distante do que o livro mostra, como personalidade do personagem.

Resultado de imagem para a garota no trem filmeUma outra coisa foi o modelo que o livro segue, cheio de flashbacks, com várias passagens de tempo e a divisão do protagonismo entre Rachel, Megan e Anna – a amante de Tom, ex marido de Rachel -, porém no filme o protagonismo ficou bem centrado em Rachel, mas não deixou faltar em nada.
Não gostei de como eles fizeram as passagens do tempo, a história ficou muito corrida e, em algumas partes, distante do livro.

Enfim, imagino que tenha sido um trabalho muito difícil retratar com fidelidades as emoções do livro e o filme pecou um pouco nisso. Claro que o livro é bem melhor, mas também gostei do filme.


2 comentários:

  1. Nossa to muito ansiosa para ver o filme, ainda não conseguii. Adoreii ♥

    ResponderExcluir