5 de fev de 2017

Primeiras Impressões: A deusa da guitarra


Título: A deusa da guitarra
Título Original: Guitar Face
Autora: Sasha Marshall
Editora: Coerência
Nº de páginas: 342
SKOOB
 2/5 
Minha história não é para quem tem coração fraco. Ela é repleta de lindos empecilhos e tragédias que beiram a aflição. Eu nasci no mundo do rock-n-roll, era uma mera menina, que só queria ter sua própria cara de guitarra. De alguma forma, entre amplificadores, acordes e guitarras, encontrei o meu lugar. Nasci para criar música e fazer a multidão ficar de joelhos… até ser interrompida. Até o momento em que, pensar em fazer parte disso tudo, sem a presença dele, me causava náuseas.
Pensei que pudesse fugir do rock-n-roll, mas não consigo. Meu irmão é um rock star, e todos os nossos amigos fazem parte dessa indústria. De uma forma ou de outra, tenho o pressentimento que serei sugada de volta, apesar de temer não sobreviver. Talvez eu tenha mais chance de sobreviver ao rock-n-roll do que de sobreviver ao Jagger Carlyle. Jag é o melhor amigo do meu irmão, vocalista principal e guitarrista da banda Broken Access. Eu o amo desde menina, mas a indústria da música e o meu medo de rejeição, me impediram de assumir esse sentimento por todos esses anos. Quando as faíscas começam a inflamar e o mundo se empenha em nos separar, chego a pensar se o amor será o bastante.
Minha história te fará chorar, seja por tristeza, ou por causa do Kip. Basicamente, Kip é um idiota, mas ele é o meu melhor amigo. Ele tem o hábito de me acordar com filmes pornográficos europeus ridículos, e tem o dom de dizer as coisas mais inadequadas. À noite, é baterista; durante o dia é meu parceiro de crime. Eu deveria ter me apaixonado por ele, mas ele nunca cala a p***a da sua boca. Ele sempre foi o meu porto seguro, e, quando meu coração é partido em dois pelo Jagger, é Kip quem fica ao meu lado.
A Deusa da Guitarra ganhou dois prêmios SIBA, o segundo lugar como melhor romance independente de Humor e segundo melhor New Adult. Ele é o primeiro volume de uma série, com uma forte protagonista, bad boys e muito rock. Não se trata de um romance clichê com rock stars; ele te levará a uma nova aventura, diferente de tudo o que você já viveu. Se você procura por uma história de redenção, com alívio cômico e conteúdo altamente sensual, você encontrou o que procurava. Se você se ofende com rock stars tatuados, sensuais, e com linguagem vulgar, esse livro não é para você. Leitura inadequada para menores de 18 anos. A série possui conteúdo sexual, violência e linguagem inapropriada.


Henley Hendrix é A Deusa da guitarra. Prodígio da música desde os 12 anos, Henley tem tudo. Fama, dinheiro, família, bons amigos e homens a vontade. Até que um dia, depois de um show, Henley sofre um acidente de carro e acaba perdendo seu melhor amigo, Caleb. Depois disso ela se fecha para o mundo da fama e vai explorar o mundo.

Quatro anos depois, Henley está de volta saindo em turnê com a banda do seu irmão e seus melhores amigos. Mas essa turnê irá mudar o rumo da sua vida, já que ela se reencontra com seu amigo e também amor da sua vida, Jagger, companheiro de banda do seu irmão. Os dois se sentem muito atraídos um pelo outro e, dessa vez, nenhum dos dois está disposto a resistir.



Mas a vida está preparando muitas surpresas para Hen. O mundo da fama não é tão calma e simples como parece a cabe a Henley saber como lidar com ele.


Há um tempo eu era muito fã de livros desse tipo. Muito rock and roll, sexo, personagens intensos e etc. Mas depois de tanto ler livros assim, eu descobri que são todos iguais. O mesmo livro, só mudando o nome dos personagens e das bandas, infelizmente. E A deusa da guitarra não foi diferente.

O livro tem a história, basicamente focada na relação de Hen com Jag e sua volta para a música, com a aparição de alguns personagens secundários. Um ponto bastante negativo nesse livro foram os personagens. Bem clichês e super bipolares. Personagens adultos que se comportam como crianças. Isso me incomodou demais.

Outra coisa foi que o livro é classificado como erótico e sensual, mas o que li foi putaria pura com linguagem de baixo calão e cenas repetitivas. A relação da Hen e o Jagger é muito baseada em sexo, infelizmente. A autora tentou até dar uma maquiadazinha, mas não rolou. Não gostei da interação deles dois e dos outros personagens.

A história é extremamente clichê e, mesmo com um final que dá aquela pitada de curiosidade para conferir o próximo livro, não consegui dar mais de suas estrelas. Não gostei do desenvolvimento, achei tudo superficial demais, forçado demais e, em algumas partes, chatinho – mesmo sendo um livro pequeno –.

Espero que possam ler para tirarem suas próprias conclusões também.


⚠️ SPOILER: Eles acabam juntos, mas acontece alguma coisa no final que choca a protagonista, mas não diz o que é.

4 comentários:

  1. Gabi!
    Até gosto de livros com sexo e rock'and roll, mas é bem como falou, acabam todos ficando iguais e perdem a graça da leitura.
    Desejo uma semana alegre e feliz!
    “Um saber múltiplo não ensina a sabedoria.” (Heráclito)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de FEVEREIRO, livros + KIT DE MATERIAL ESCOLAR e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é o grande problema.
      Obrigada pelo comentário!
      Beijos!

      Excluir
  2. Olá!
    Nossa, que pena que a leitura não tenha te agradado e que você tenha achado tudo isso do livro. Esse não é meu gênero favorito, mas não acho que todos são a mesma coisa, é uma pena que você ache isso, pois temos muitas histórias boas que não damos chance por "achismo".
    Acho que você poderia ter feito uma postagem assim, pois outras pessoas podem amar o livro como têm acontecido.
    Beijinhos

    ResponderExcluir