23 maio 2017

Resenha: Encrenca



Título: Encrenca
Título Original: Trouble
Autor: Non Pratt
Editora: Verus
Nº de páginas: 307
SKOOB
 4/5
Quando o colégio inteiro descobre que Hannah Sheppard está grávida, ela tem um verdadeiro colapso. E quem está ao seu lado é Aaron Tyler, um aluno novo e o único garoto que não parece ter segundas intenções em relação a ela. Desejando compensar seus erros do passado, Aaron toma uma difícil decisão: ele se oferece para fingir ser o pai do bebê. E, temendo revelar quem é o verdadeiro pai, Hannah aceita.
Encrenca é a história de dois jovens que estendem a mão um para o outro quando todas as demais pessoas parecem lhes dar as costas. Em um período marcado por perdas, arrependimentos e esperança, os dois vão descobrir que nada se compara a encontrar o seu primeiro melhor amigo de verdade.
Este livro inteligente, por vezes comovente, por vezes engraçado, mostra que crescer pode ser complicado, mas é assim que se descobre o que realmente importa na vida.

Estou em uma relação de amor e ódio com esse livro.

Hannah é conhecida como vagabunda na escola onde estuda. Uma garota de 15 anos que dorme com todo mundo e que deixa qualquer um tocá-la. Infelizmente, eles estão muito enganados sobre ela. Infelizmente, o que parecia impossível aconteceu. Hannah está grávida e o pai não é nenhum garoto que as pessoas acham que é. A história de Hannah é muito mais profunda.

Aaron Tyler é o exemplar filho do professor de história e com um passado escondido. Aaron observa Hannah e, diferente das pessoas que a cercam, Aaron consegue enxergar por detrás da sua fachada. Os dois começam a ter uma amizade um pouco estranha e quando Aaron descobre que Hannah está grávida, tem a ideia de assumir a paternidade do filho dela para compensar algo que fez no passado.

Porém, nem tudo é tão simples. A gravidez de Hannah trará à tona coisas do passado e revelações impactantes, na vida de ambos.

Livros com cheirinho de clichê. Hm... Adoro.
Tudo que eu posso dizer sobre Encrenca é que o livro aborda sentimentos de maneira muito profunda e intensa, como eu nunca tinha imaginado. Achei que seria um livro leve e descontraído, mas ele foi bem contrário disso.

Hannah é uma garota de apenas quinze anos, que está à frente da sua idade em todos os sentidos. Depois que começa a andar com Katie, muda completamente seu comportamento. Bebe, anda em festas, gosta de beijar, provocar e de fazer sexo, mas há uma profundida em Hannah, algo que ficou um pouco superficial no livro, mas que o leitor consegue perceber.

Aaron também tem uma grande bagagem, com um passado obscuro que faz um mistério no livro. Aos poucos vamos descobrindo o que aconteceu com ele e um pouco mais da origem da sua personalidade. Ele é bem altruísta e tem aquele espírito solitário que, aos poucos, é desvendado por Hannah.

O relacionamento dos dois, vai sendo construído na amizade e só depois vai evoluindo. Parte disso, porque Hannah ainda mantem sentimentos profundos por outra pessoa. Os dois vão construindo uma amizade bem legal e fofa, é bem interessante.

Outro mistério que o livro traz, é sobre quem é o pai do bebê de Hannah. Eu matei logo de cara, mas o suspense construído é legal e maneira que tudo vai se encaixando, vai fazendo todo o sentido.

O livro é divido em partes narradas por Aaron e Hannah e a maneira que é construído, com capítulos pequenos e não necessariamente do mesmo tamanho, faz com que a narrativa flua de maneira envolvente. Ele também conta com flashbacks para explicar o passado e colocar mais sentido nas coisas, o que foi muito bom.

Uma coisa que eu não gostei no livro foi a superficialidade no relacionamento de cunho amoroso de Hannah e Aaron. Não foi bem mostrado. Outra coisa que eu não gostei foi a fixação de Hannah pelo pai de seu filho. O amor enorme que tem por ele e como abre mãe de tudo. É meio chato e eu não gostei.

Tem várias histórias em paralelo, como o relacionamento de Hannah com seus antigos amigos e novos, com sua mãe, seu padrasto, seus meio-irmãos, seu pai distante que nunca dá a devida atenção, de Aaron com seu passado e com seus pais. É muito legal.

O final foi bem frustrante e esse foi o principal motivo da razão da relação de "amor e ódio", mas super recomendo!


⚠️ SPOILER:  O pai do bebê é Jay, meio-irmão dela.

6 comentários:

  1. Oi Lilian, tudo bom?
    Gravidez na adolescência é um assunto que eu não tinha mais ouvido falar e achei interessante a premissa do livro. É um ponto desfavorável pra mim quando o autor não aprofunda a história dos protagonistas :/ eu acho isso essencial. Só que eu gosto dessa abordagem juvenil e as pressões e a forma como o bullying é tratado. Por que, de certa forma, essa menina sofreu muito bullying, coitada :(
    Obrigada pela dica !
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então eu te dou as boas-vindas ao mundo de Encrenca, porque é isso que você vai encontrar. Espero que possa ter a oportunidade de lê-lo.
      Beijos!

      Excluir
  2. O autor tinha uma premissa muito bacana, já que o tema abordado nos chama a atenção, e interessa muitas pessoas, e por isso se tivesse se aprofundado melhor em relação ao assunto talvez tivesse um melhor desenvolvimento da estória. Mesmo assim, consegui ter interesse em ler a obra, pois acredito que deve ter alguns pontos favoráveis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, espero que possa ter a oportunidade.

      Excluir
  3. Lilian!
    Romance clichê, porém até interessante, pelo fato de construir aos poucos a amizade com o professor e não ser mais um daqueles romances instantâneos.
    Triste é ver que eles não tem aquela conexão que arrebata o leitor, por ela ainda ser fissurada no ex.
    E descobrir o pai do menino é o grande mistério.
    Deve ser bom de ler.
    Bom final de semana!
    “A solidão é a mãe da sabedoria.” (Laurence Sterne)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, tirando essas coisas, é legal.
      Beijos!

      Excluir