01 março 2017

[Repostando] Resenha: Príncipe Sombrio


Título: Príncipe Sombrio
Título Original: Dark Prince
Autora: Christine Feehan
Editora: Universo dos Livros
Nº de páginas: 486
SKOOB
 4/5
RMikhail Dubrinksy é o Príncipe dos Cárpatos, o líder de uma sábia e secreta raça ancestral que vive na noite. Tomado pelo desespero, com medo de nunca encontrar a companheira que iria salvá-lo da escuridão, a alma de Dubrinksy gritava na solidão. Até o dia em que uma bela voz, cheia de luz e amor, chegou a ele, atenuando sua dor e seu anseio. Raven Whitney possui poderes telepáticos e os utiliza na captura dos mais depravados serial-killers. Desde o momento que se conheceram, Raven e Mikhail foram incapazes de resistir ao desejo que faiscava entre eles. Mas forças sombrias tentarão destruir esse frágil amor. E mesmo que sobrevivam, como poderão - cárpato e humano construir um futuro juntos?

Geeente, oi, oi, oi. Essa resenha é sobre o livro Príncipe Sombrio, o primeiro livro da série Cárpatos. O livro conta a estória de Raven Whitney, ela é especial e sempre se sente deslocada. Raven tem o poder da telecomunicação e usa isso para rastrear serial-killers, mas isso a deixa cansada e exausta, por isso ela tira férias nas montanhas Cárpato, na Romênia, não sabendo ela que de normal suas férias não teriam nada.

Mikhail Dubrinksy é um príncipe cercado por escuridão. Sua espécie está em extinção por terem poucas mulheres para se reproduzirem. Sua única salvação é uma humana com habilidades especiais que compreende a solidão tanto quando ele. Os dos têm um ligação forte e não conseguem evitar a tração que existem entre si.

Mas Mikhail tem mais do que Raven para se preocupar. Um grupo de assassinos que confundem os Cárpatos com vampiros estão cada vez mais forte e matando cada vez mais. Mikhail, como príncipe de sua espécie tem que garantir a proteção de todos os seus e, principalmente, da humana especial que ele tomará como companheira.


Quando começei a ler esse livro não conseguir parar de compará-lo com o livro Amante Sombrio, primeiro livro da série Irmandade da Adaga Negra. Na verdade os livros são muito parecidos, com a mesma essência, mas escritos de forma diferente.

Os Cárpatos são uma espécia de "vampiros" não vampiros. Eles bebem sangue, não saem na luz do sol, podem se transformar em outras coisas como lobos, corujas e névoa e têm uma ligação muito forte com a natureza. A terra é a maneira de cura mais rápida que eles têm. Outra característica deles, é que são bem unidos. Como uma comunidade ou um bando. Eles conversam mentalmente entre si e se ajudam.

A protagonista não é uma das minhas favoritas. Na verdade ela chega a ser frustrante de tão resistente que ela é. Valoriza muita a independência é muito corajosa. Tão corajosa que as vezes se põe em perigo por causa disso. Não sei nem quantas vezes ela foi trazida de volta a vida por um "acidente" ou um ataque. Por outro lado do mocinho é um dos mais doces que eu já vi. Dês do começo ele mostra seu interesse por Raven. Mas por outro lado o que ele tem de carinhoso ele tem de super-protetor.

O livro é bem direto. Não fica na lenga-lenga. No primeiro capítulo os protagonistas já se conhecem. No quarto já se beijam e no sétimo ou oitavo capítulo o problema parece já ter sido resolvido. Não sabia mais o que a autora iria inventar, mas ela conseguir (e sem perder o sentido). A estória foi desenvolvida sem perder o enredo e o foco, o que poucos autores sabem fazer.

Príncipe Sombrio pode ter um assunto meio repetitivo, mas ao mesmo tempo ele é inovador. Uma ótima leitura.


⚠️ SPOILER: Ela é quase morta, mas fica bem no final.

Nenhum comentário:

Postar um comentário