15 abril 2017

Resenha: Desencontros e Desencantos

Título: Desencontros e Desencantos
Autora: Nathalia Batista
Editora: Chiado
Nº de páginas: 256
SKOOB
 3/5 
A Inglaterra, do início do século XIX, é palco de um romance repleto de paixão, dor, encontros, encantos, desencontros e desencantos. O romance é composto por pessoas e com elas, tudo o que há de pior e de melhor no ser humano. São sentimentos explorados em uma cadência lenta nas fases mais difíceis da vida de uma mulher. Suzanne é uma doce e ingênua moça de dezessete anos, cercada e castigada pela maldosa Veronika, de quem era dama de companhia. A vida tem seu próprio jeito de ensinar aos ingênuos e proporciona um longo e árduo caminho a menina em meio a uma sociedade onde respeito e posição não raramente eram construídos com crueldade, inveja, mentiras, intrigas e vingança.


Suzanne, filha de uma dama de companhia, desde pequena sabia qual era o seu lugar. Órfã dos seis anos, foi adotada como tutelada da senhora de sua mãe, Sra. Hampton. Por seu jeito doce e adorável, Suzanne conquistou o que a filha da baronesa nunca teve, seu carinho e afeição. Por conta disso, Veronika Hampton cresceu invejosa, rancorosa, ciumenta e odiando a dama de companhia.

Um dia porém, Sra. Hampton conta que sua saúde está debilitada e, por isso, deixará com que Suzanne debute junto com Veronika em Londres, para que, depois da sua morte, a garota consiga se manter através de um marido.

Em Londres, tudo é diferente para Suzanne. De órfã pobre, ela passa ser uma “parente rica” da família e com sua beleza natural, atrai admiradores por onde passa, especialmente de um jovem marquês chamado Alexander Radcliffe.

Porém Suzanne é cercada de pessoas traidoras, ciumentas e invejosas que farão de tudo para arruinar a vida da jovem.


Eu sou fã de romance de época, mas esse é um pouco diferente do convencional. O livro tem poucos detalhes – diferentes dos outros desse gênero – e diálogos bem modernos.

O livro é rápido, então fica complicado conhecermos realmente os personagens. Suzanne é um personagem que muda ao longo do livro, mas preciso confessar que não gostei muito da mudança da personagem principal. Claro que no início eu achava ela muito ingênua e “idiota”, mas ela se tornou um pouco amargurada demais, o que foi triste.
Alexander foi um personagem que eu não gostei muito. Ele é muito ciumento, briga por besteira e seus sentimentos parecem muito “repentinos”.

Os eventos são muito repentinos, tudo muito rápido e quase não conseguimos acompanhar. É óbvio como as coisas que deveriam parecer naturais, parecem forçadas pela autora para que os encontros e desencontros aconteçam do jeito que ela quer.

As intrigas são muito infantis e os motivos para as brigas são tão bobos que ficamos meio bravos e frustrados.


Em contra partida, á esses pontos negativos, o livro possui uma leitura rápida e fluida, que dá pra ser lido em um dia.


⚠️ SPOILER: Armam para o casal, ela foge, grávida, e só se encontram aaaanos depois.

Nenhum comentário:

Postar um comentário