17 maio 2017

Dia de Nacional: Tábula Rasa

Título: Tábula Rasa
Autora: Laplace Cavalcanti
Editora: Coerência
Nº de páginas: 452
SKOOB
 4/5 
A disputa insaciável por recursos e poder resultou em uma guerra atômica que mudou a face da Terra e quase extinguiu a raça humana, seus últimos sobreviventes estão refugiados em uma base militar sob uma montanha. Despertando nesse mundo pós-apocalíptico, depois de ter sido resgatado, David precisa lidar com sua nova realidade, enquanto tenta resgatar vestígios de seu passado, do qual nada recorda. Não leva muito tempo para ele descobrir que a vida limitada que o subterrâneo proporciona e a impossibilidade de regressar à superfície, devido à radiação, são os menores problemas de todos ali. Por algum motivo, todos os sobreviventes são inférteis, e não importa o quanto tentem melhorar as suas vidas, de nada adiantará se não conseguirem reverter esse problema. A humanidade não está livre da extinção.


O mundo que conhecemos acabou por conta de uma guerra nuclear há dez anos. Foi isso que contaram a David quando ele acordou sem saber de nada, sem nenhuma lembrança, apenas do seu nome.

Aos poucos David vai conhecendo a sua nova realidade. A humanidade agora está condenada a viver embaixo da terra no chamado Cofre, o lugar onde há tudo que todos precisam, já que a superfície está cheia de radiação e animais mutados geneticamente.

Dentro do Cofre cada pessoa tem o seu trabalho. Construtores, médicos, ajudantes de serviços gerais e soldados. O Cofre é comandado por Elizabeth e sua futura substituta, Mira. Só que nem tudo é perfeito e logo David descobre que além de serem condenados a ficar depois da terra para sempre, os seres humanos que sobreviverem, por conta da radiação, sofreram uma terrível infertilidade e, por conta disso, a população existente pode estar chegando a extinção.

Depois de uma sessão de hipnose, David finalmente se lembra do que deixou para trás na superfície. A família e os filhos que perdeu.  Afundado nessa dor, ele conhece Emma, uma mulher que por muito tempo foi condenada a depressão, pela dor da perda que a recuperação de suas memórias trouxe. Os dois encontram um no outro um meio de salvação.

Será que David iria conseguir ser feliz naquele novo lugar? Com certeza não, porque, depois de poucos dias de felicidade, Emma descobre que está morrendo. Não muito depois, David é abandonado por sua amada e se ver sozinho pela segunda vez. O problema é que a morte de Emma desencadeia uma série de acontecimentos que muda toda a vida de David e tudo que lhe foi dito.

Será que o Cofre é realmente seguro? Será que está sob o comando de Elizabeth é a melhor coisa? O que será que aqueles que comandam o Cofre planejam para os últimos sobreviventes da raça humana?


Se você já leu Silo, conseguiu perceber muuuitas semelhanças entre os dois livros e, realmente, há muitas semelhanças. A primeira metade do livro é muito parecida com Silo, a ideia, mas logo ele vai se desviando - ainda bem.

O livro tem uma ideia muito boa, com uma surpresa atrás da outra e uma narrativa muito fluida. Os capítulos são pequenos e nunca fica chato. É rápido e num piscar de olhos ele já está acabando. Foi muito gostoso de ler, por causa disso, principalmente.

O autor quebrou vários clichês e quando eu achei que sabia alguma coisa, descobri que era Jonh Snow e não sabia de nada. 😂😂😂 O autor nos pega de surpresa várias vezes e isso é muito legal.

Tem uma pegada de narrativa e detalhamento bem nacional - não sei como explicar, mas da pra identificar o estilo - um pouco diferente do que estou acostumada, já que essa é a minha primeira distopia nacional, mas eu gostei muito. Recomendo e espero que tenha um próximo, porque quero muito.

PS. A diagramação da editora ficou um arraso. Amei os detalhes dentro do livro e nos títulos dos capítulos. Muito bom, como sempre.


⚠️ SPOILER: David não é ser humano, é um clone. E morre no final, tá? Bem sad, fiquei de boca aberta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário